Cooperação científica e tecnológica entre o Interior da China e Macau

A fim de promover a prosperidade e o desenvolvimento comum do Interior da China e de Macau, e reforçar os intercâmbios e a cooperação em ciência e tecnologia e nas respectivas indústrias dos dois lados, o Ministério da Ciência e Tecnologia da China e o Governo da Região Administrativa Especial de Macau assinaram, em 6 de Outubro de 2005, o “Acordo sobre a Criação do Conselho de Cooperação de Ciência e Tecnologia entre o Interior da China e Macau”.

Os membros do Interior da China do referido Conselho são constituídos por representantes do Ministério da Ciência e Tecnologia, do Gabinete para os Assuntos de Hong Kong e Macau do Conselho do Estado, do Gabinete de Ligação do Governo Central na Região Administrativa Especial de Macau, da Academia Chinesa de Ciências, da Associação das Ciências e da Tecnologia da China, da Fundação Nacional da Ciência Natural da China, do Departamento de Ciência e Tecnologia da Província de Guangdong, da Direcção de Ciência e Tecnologia da Cidade de Zhuhai e de outras entidades; os membros de Macau são compostos pelos representantes das entidades como o Fundo para o Desenvolvimento das Ciências e da Tecnologia, o Conselho de Ciência e Tecnologia, a Direcção dos Serviços de Educação e Juventude, os Serviços de Saúde, a Direcção dos Serviços de Correios e Telecomunicação, a Direcção dos Serviços de Protecção Ambiental, a Direcção dos Serviços de Assuntos Marítimos e de Água, a Universidade de Macau, a Universidade de Ciência e Tecnologia de Macau, o Instituto Politécnico de Macau e o Centro de Produtividade e Transferência de Tecnologia de Macau.
 
Os gabinetes de ligação do Conselho estão localizados no Centro de Intercâmbio Científico e Tecnológico do Ministério da Ciência e Tecnologia da China e no Fundo para o Desenvolvimento das Ciências e da Tecnologia de Macau.
 
O Conselho tem cinco grupos de trabalho, nomeadamente o grupo de trabalho da ciência e tecnologia e indústria de medicina chinesa, o grupo de trabalho da ciência e tecnologia e indústria da conservação de energia e protecção de ambiente, o grupo de trabalho da tecnologia e indústria electrónica e informática, o grupo de trabalho da popularização das ciências e da tecnologia e o grupo de trabalho da ciência e tecnologia e indústria marítima. Os grupos de trabalho procedem à negociação sobre as questões específicas de cooperação nas áreas relevantes.

O Conselho de Cooperação de Ciência e Tecnologia entre o Interior da China e Macau já realizou 12 reuniões. Sob o mecanismo do Conselho de Cooperação de Ciência e Tecnologia entre o Interior da China e Macau, o Interior da China e Macau conseguiram progressos nas seguintes matérias:

  1. Promover a construção de laboratórios de referência do Estado em Macau. Já foi aprovado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia o estabelecimento do Laboratório de Referência do Estado para Investigação de Qualidade em Medicina Chinesa (Universidade de Macau, Universidade de Ciência e Tecnologia de Macau), do Laboratório de Referência do Estado em Circuitos Integrados em Muito Larga Escala Analógicos e Mistos (Universidade de Macau), do Laboratório de Referência do Estado de Internet das Coisas da Cidade Inteligente (Universidade de Macau) e do Laboratório de Referência do Estado para a Ciência Lunar e Planetária (Universidade de Ciência e Tecnologia de Macau).
  2. Realizar o financiamento conjunto para projectos de investigação científica. O FDCT já lançou plano de financiamento conjunto para projectos de investigação científica, respectivamente com o Ministério da Ciência e Tecnologia e com a Fundação Nacional da Ciência Natural da China.
  3. Realizar o curso de técnica moderna para controlo e identificação da qualidade de medicina tradicional chinesa. Desde 2012 até hoje, já foram realizadas 7 edições do curso, tendo formado mais de 200 técnicos de medicina chinesa dos dois lados.
  4. Promover a entrada de cientistas de Macau no banco de especialistas do Plano Nacional de Ciência e Tecnologia. Em 2009 e 2011, Macau recomendou um total de 14 cientistas para entrar no banco de especialistas.
  5. Promover a comunicação e a cooperação entre o Interior da China e Macau nas áreas da medicina chinesa, conservação de energia e protecção ambiental, electrónica e informação, popularização da ciência e tecnologia e assuntos marítimos.
  6. Cooperar na realização da Semana de Ciência e Tecnologia de Macau e na organização de visita de estudo de popularização da ciência para professores e estudantes de Macau.
  7. Cooperar em formação do quadro de gestão de ciência e tecnologia de língua portuguesa. Houve nove grupos do quadro de gestão de ciência e tecnologia do Interior da China que concluíram os estudos de língua portuguesa em Macau e Portugal.
  8. Prestar apoio à avaliação do Prémio de Ciência e Tecnologia de Macau. A pedido do FDCT de Macau, o Gabinete do Prémio Nacional das Ciências e da Tecnologia do Ministério da Ciência e Tecnologia foi o júri de quatro edições do Prémio de Ciência e Tecnologia de Macau (de 2012 a 2018), e forneceu informações de contacto dos especialistas de avaliação da mesma área para o FDCT.




Copyright(C) 2005 ALL right reserved.